Você tem mais de 18 anos?

Ao entrar neste site, você concorda com nossa Política de Privacidade

c

Nossa história

Frequentada por DOM PEDRO II, GETÚLIO VARGAS E JUSCELINO KUBITSCHEK, a Tabacaria Africana é a mais antiga da América Latina.

A tabacaria foi fundada em 1846 por José Carvalho da Silva, depois Antero Almeida e Almiro Mendes adquiriram, em sociedade, a empresa em 1920, e hoje é administrada por seus netos Isaac Almeida e Gabriela Marinho.

O estabelecimento, localizado em frente ao Paço Imperial e ao lado do Arco do Teles, propõe ao visitante uma verdadeira volta ao tempo, pela venda de fumos em corda ou para cachimbo e dos charutos tradicionais.

Além disso, ainda hoje é possível observar uma curiosidade deixada pelo antigo dono. Atrás do balcão, há uma imagem artística, talhada em carvalho, com figuras da Praça XV e de uma carruagem típica da época do Império. Personagens ilustres da história do Brasil frequentaram a tabacaria, do Imperador Dom Pedro II a Getúlio Vargas. O ex-presidente gaúcho ia lá semanalmente buscar seus charutos, encomendados especialmente da Bahia. Outro figurão, Juscelino Kubitschek, antes de transferir a capital federal do Rio para Brasília, deixava o conserto de seus isqueiros aos cuidados dos profissionais da loja.

Acessórios para cachimbos e charutos — furadores, cortadores, limpadores e raspadores —, isqueiros, canivetes e facas seguem no mix de produtos fumígenos.

Além dos variados produtos à venda, possui, em tempos antitabagistas, um espaço próprio para fumantes. O ambiente de degustação é legalizado, climatizado e dispõe de exaustor para tragar a fumaceira.

No local, são servidos cafés e bebidas finas, como uísque, conhaque e vinho do Porto.

A Tabacaria Africana organiza também eventos culturais, com música ao vivo, comidas, bebidas e, claro, lançamentos de tabacos. Por seu conjunto de histórias e detalhes preservados, a loja  foi nomeada pela Prefeitura Patrimônio Cultural Carioca.

Nenhuma postagem foi encontrada para os parâmetros de consulta fornecidos.